Ao minuto 3:33

Começa a melodia de acabar o mundo. É o que acho desde aquela vez em que estive à beira de perder os sentidos com tanta poeira, multidão e excitação, no primeiro Sudoeste. O anticristo estava atrasado e começou a soar o Ok Computer, que era um disco novo dos Radiohead. Por alturas do Paranoid Android, as minhas pernas cederam. Não me tinha em pé. Achei que se calhar podia morrer ali esmagada pelas doc dos vizinhos do lado e ainda pensei nas três sandes de queijo e marmelada que tinha na mochila e devia ter comido. De repente senti-me a subir, a subir, mas não descolei do chão. A música soou celestial, um coro de anjos. Ao minuto 3:33 eu tive a impressão que o mundo estava a acabar e soube-me bem. Depois levantei-me. É o que faço sempre.

4 comments

Post a comment

You may use the following HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>