Avó Querida

flor_avo

Os desenhos são meus, de quanto tinha 6, 7 e 8 anos. Tinha uma letra linda e parece que gostava de corações. A história está aqui, no “Mãe Querida”, o portal da Limetree – um projecto nacional que eu adoro!
E depois, há neste mundo ursas convincentes…

 

 

16 comments

    • Alexandra

      Se não tens dito nem via o teu mail… a minha caixa anda inundada de lixo das festas. Já te respondo. Entretanto fico contente por ficares comovida. Adoro esborratar o rímel às pessoas. :P

  1. Carla Pereira

    Emprestado ou roubado (mas devidamente identificado) este texto vai ter de aparecer no nosso blog dedicado aos nossos Avós, mas onde há espaço para os avós dos outros! Estas netas agradecem à neta Alexandra, ainda maior com este texto, as palavras emocionantes!

  2. Kapu

    Letra bonita é como quem diz. Razoável, vá. Acho é fantástico o desenho. Eu com 8 anos o melhor que fazia era um homem do género que se faz no jogo da forca. Desde cedo ó “enorme”, desde cedo se revelou o teu dom. ;)

    (a história, essa, é outra coisa. Um doce. Fantástica. Eu não as tenho assim. Não que não tivesse tido avós, que os tive. Mas eram assim para o blhac. ;) )

    • Alexandra

      Não fiques triste que conheço muito adulto que ainda só faz o homem da forca… E que pena isso dos avós. É que ser avô espectacular não é para todos, dá trabalhinho.
      Muito obrigada pelo resto, Kapu.

      • Kapu

        Não fico nada triste. Cada um é para o que nasce e esse não era um dos meus talentos na altura. (hoje em dia, só para que conste, safo-me menos mal). Eu aceito e sempre aceitei bem as minhas “falhas”. Melhor, até, do que algo para o qual eu tenha algum jeito. Estranho, não??

Post a comment

You may use the following HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>