Booty call

Primeiro ele disse que gostava de futebol, mas não era nenhum doente. Era lá capaz de deixar de fazer qualquer coisa comigo para ficar ver um jogo? É claro que há jogos e jogos, admitiu, mas tu estás em primeiro lugar, mein leben. Um Benfica por semana, não pedia mais. Dois, se houver competições europeias ou jogos para a taça. Três ou quatro, se não for inconveniente. Uma espreitadela ao Porto, ao Braga, e à Premier League, claro. Temos de conhecer o inimigo. No fundo, nem é entretenimento, é cultura geral. Mas tu estás em primeiro lugar, mein leben.

Depois ele disse que andava stressado, esta coisa da crise e tal. Precisava de jogar um bocado de Fifa ao serão, para descomprimir. Vai andando para a cama que já lá vou ter. É que o Jorge está agora online, eu não demoro. Tu estás em primeiro lugar, mein leben. Não adormeças, vê um bocado de televisão. Mas adormeci, sempre.

Depois, ontem, ajustes no plano de jogo. Tu em primeiro lugar, mein leben. E o Jorge esperou online e sentado, calculo. Muito tempo de compensação e muitos golos. Não foi entretenimento, foi cultura geral, que ele não é nenhum doente.

33 comments
  1. Nem me atrevo a comentar….

    1. OHHHH… Porquê? Sabes que tenho veia satírica.

  2. Eu não comento que eu de futebol não percebo nada.

    1. Sabes passar a ferro? É só mais isso que preciso de saber para te convidar a vires cá para casa.

  3. Epá, eu não queria que o meu primeiro coment num blog tão giro e com um header tão cool, mesmo que amarelo, fosse este. Mas não resisto: declina lá a cena no feminino e não atentes contra a versão germânica da palavra amor – é meine liebe. Adiante.
    Estou contigo. Só simplesmente já não acredito vir (nem vir-me) antes do futebol.

    1. Courage, vide resposta da freeculturelisbon mais abaixo quanto à questão do atentado à palavra liebe, que não era a que se pretendia. Vida e não Amor. Coisa mais fina. Já a declinação, tens toda a razão, mas não vou substitui-la no texto porque é assim que o rapaz citado coloca a coisa. Deixo o itálico reforçar a estranheza. Se lhe agrada pensar que sou macho, olha, para a próxima não se arme a fingir que sabe alemão.
      Bem vinda, tu!

    2. Weird shit, o meu comentário kaput. Courage my Love, queria dizer que até aos jogadores profissionais, é pedido que não (se) venham antes dos jogos. Por isso estou contigo. :) Não se faz.

      1. Troll, ontem à noite deu-me uma coisinha má enquanto comentava. Baralhei-me toda com as caixas de comentários e sem querer editei o teu em vez de criar um novo. Apaguei-o, recuperei-o, substituí-o, apaguei de novo… o diabo. As minhas desculpas. Não era nada contra ti!

  4. essas relações, e esses homens (se é que se pode chamar assim a um tipo que deixa a namorada/mulher/a outra na cama para jogar consola), para mim, são objecto de estudo… weeeird people.

    1. deixa-me incluir aqui uma coisa…

      assumo que a namorada/mulher/a outra não é um “estojo” ou “frasco de cola”… nesse caso tinha mais é que pensar em mudar de namorada/mulher/a outra…

      1. Bonitas expressões. Nada tão dramático como isso, mas percebo o que queres dizer. Dá-me algum crédito (e liberdade criativa!) :P

        1. eu dei, por isso é que não fiz logo a ressalva. ;)

  5. Nada como um dia destes o Jorge ficar ansiosamente à espera do sein lieben e esta, imprevisivemente, ficar a noite inteira entretida a ver…digamos…a Sic Mulher? (mau demais, eu sei, mas talvez resulte). Ou a pintar as unhas dos pés. Ou a jogar Solitário Spider.

    1. Já aconteceu, já aconteceu… e estamos a falar do America’s Next Top Model, não era qualquer porcaria :)

  6. Coitado do Jorge :( acho errado deixar um bro pendurado online e compreendo a tua indignação. Mas não desesperes, acho que ele vai certamente corrigir esse erro. O importante numa relação é comunicação. Tipo, ter uma boa rede wi-fi para poder jogar noutros sítios da casa. Já pensaram em ter uma tv com a playstation no quarto? Eu fiz isso e nunca mais tive problemas. A Plaft consegue dormir porque uso um headset da Beachturtle muito bom, só tenho de falar baixinho para não a acordar e é uma chatice quando é uma fase do jogo em que há muitas explosões e preciso de gritar, ela acorda meio estremunhada a meio de um “theres a sniper on the south east tower, shoot god damit, SHOOT THAT FUCKER” mas depois eu calo-me e ela adormece confusa e no outro dia diz que teve pesadelos e sonhos agitados, mas pelo menos respeita-me por não deixar mal o meu clã do battlefield quando há um showdown com outro clã.

    1. Eh pá… nunca pensei ver-me no mesmo barco/cama que a Plaft. Quer dizer, pensar até pensei, mas em situações mais exóticas. Por cá o headset também funciona e eu também vou dormindo, mas os berros, quando vêm, são em português e assustam mais. É por isso que prefiro o Fifa ao Battlefield, no capítulo das vocalizações nocturnas. “Golo” é menos assustador que “atrás de ti, atrás de ti!”

  7. Boa sugestão da Blue, excepto se só tiverem 1 tv, aí ele não pode jogar ao mesmo tempo que vês a sic mulher :\ voltamos à tv no quarto. Assim ficavas na sala a ver a sic mulher e a pintar as unhas que vocês gostam e ele podia jogar e aquecer a cama :)

  8. O homem só foi ver a bola…

    1. Um homem nunca vai só ver a bola!

  9. vou ser agora nogentinha para os que corrigiram, leben quer dizer vida ,não amor, logo fica “minha vida” o que tambem é bastante carinhoso.
    Tirando o facto da Alexandra não ser a vida do rapaz, mas sim o benfica. Proponho comprar um set de vibradores (de preferencia com dinheiro dele)e quando ele vier ter contigo para trocar impressoes,tu ocupada com os novos amigos eletrodomesticos, dizias:
    meine liebe(amor) tu não já nao és mein leben (vida)

    1. Obrigado pela defesa idiomática. Sugestão anotada! ;)

  10. Vês? A criticar o homem e ele lá deu um ar de sua graça. :)
    Já eu, viciado me confesso. Mas tem de existir tempo para tudo. Abram-se cedências, abram-se pernas. Resolva-se a coisa de qualquer maneira, para que ambos consigam no fim, um sorriso de satisfação. :)

    1. Ora bem. Eu sou pelo diálogo. Pena que este, durante um jogo se torne facilmente num monólogo. Posso jurar que o rapaz fica mouquinho de todo enquanto não soa o apito final. :)

  11. Quando também não estamos on line com o nosso parceiro/a, ou na mesma onda o mais certo é o futebol ser mais importante.
    Boa sexta 13

    1. Carlos, bem sei que falo contra mim, com um texto destes. Se o lesse com os olhos de outra pessoa respondia o mesmo que tu e aconselhava-me a mim mesma a fugir com as jóias e o LCD. Mas não vivemos a preto e branco e a longevidade das relações pinta-se de certas nuances cromáticas que temos de aprender a apreciar. Boa sexta-feira 13 para ti também. :)

  12. Como eu te percebo! mas mesmo assim fiquei com pena do Jorge, coitado do rapaz:)

    1. Não tenhas, que ontem à noite ele já se vingou de mim umas duas horas… ;P

  13. Olá Alexandra (que sempre pensei ser rapariga e não ‘macho’ e também acho que para o caso é indiferente).
    Quando li o post e comentei pensei mesmo que estavas a dizer ‘liebe’ de amor e não ‘leben’ de vida.
    Sim freeculturelisbon, ‘minha vida’ de facto fica mesmo muito mais carinhoso e importante até! :-) Talvez por ser mais comum, tenha pensado em liebe e quanto ao corrigir é o que eu faço diáriamente a mim própria, entre outras coisas, corrigie erros e rever escritas. Não me causa qualquer transtorno corrigir-me ou ser corrigida.
    Whatever. Corrigi-te porque gostei do post e não o queria ali com o que pensei erradamente ser um erro. Relax.

    P.S. Eu não finjo que sei alemão.

    Bom fds pá!
    P.S.

    1. E eu agradeço a correcção, não penses que não! Alemão para mim é ein, swei, drei e tá a andar. É sempre bom aprender qualquer coisa e acredita que dei logo nas orelhas a quem de direito. Mas agora já ficou assim, nada a fazer. O que vale é o que som deve ser igual.
      Obrigado pela canção – gosto muito!

      1. :-) Ainda bem, pensei que pudesse ter caído mal. A virtualidade é muito propícia a mal-entendidos.
        Cool! Também gosto muito desta música.

        P.S. O som não é igual porque o’i’ não é mudo.

        Boa semana.

        1. Oh, que chatice, isso do “i”… vou ter de assumir então que ele pensa que sou um travesti. Deve ser por calçar 42.

          (é muito difícil perceber o tom que uma pessoa quer dar a uma frase ligeira assim só escrita – comigo, quando em dúvida, escolhe o tom de gozo – ando sempre nisso:))

  14. Já o outro dizia, quinje a jero!

    Parece-me que isso é problema do sexo masculino. A mim, quem me tira uma horita de jogatana à noite, tira-me um rim, que é como quem diz, não mata mas mói.

    Claro que há noites e noites e nem todas as noites são noites.

    Beijos

    1. Mas tu estás desculpado porque sabes o nome de mais de três igrejas barrocas de Roma. ;)
      Já temos relatos?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.