Cacilheiro-avião

O estrangeiro sentado ao meu lado tinha um rabo-de-cavalo grisalho e falava fluentemente espanhol com a companheira da esquerda, inglês com a da frente e francês com a que estava de pé, a tirar fotografias do skyline de Lisbon. Apareceu-nos um cacilheiro irmão a espumejar na janela.
“Regarde, c’est um bateau easy jet!”
Eu ri-me em português e, por momentos, fui parte daquele harém babélico. Depois atracámos, cheirava a sardinhas e ouvia-se ao longe “os peitos da cabritinha”, versão  baile amador. Deixei de ter pena de não estar num avião. Odeio recolher bagagem.

 

14 comments

  1. Mak, o Mau

    A vantagem do avião é que não cheira a maresia.
    A desvantagem é que raramente cheira a sardinha quando sais do mesmo e peitos da cabritinha é coisa que não faz parte do set lounge do aeroporto.

Post a comment

You may use the following HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>