De onde teclas?

Há muitos, muitos anos, no tempo dos modems e écrans pretos, combinavam-se cafézinhos com desconhecidos com quem se conversava on-line. Nos chatrooms e canais do IRC, não havia fotos de perfil ou lista de interesses. Toda a informação era obtida à custa de disparos contínuos de pergunta-resposta, as primeiras incisivas, as segundas fantasiosas a gosto. M ou F? DDTC? Que música gostas? Isto fazia com que estas conversas não fossem mais que tiros no escuro, divertidíssimos, descomplicados e muito pouco certeiros. O tipo que nos tinha garantido ter mais de um 1,90 m era afinal um minorca, aquele outro que soava a D. Juan de trazer por casa, mal conseguia tirar os olhos da chávena e o dono do nick boy666, era afinal uma girl pouco dada a satanismos. Os equívocos eram de parte a parte. Houve uma vez um rapaz do Técnico, apaixonadíssimo pelo meu eu virtual, que apareceu no café e ficou de longe a espiar, sem coragem para vir ter com a rapariga alta e altiva (dizia ele), muito segura de si e até um pouco dura, que contrastava com o amor de pessoa que lhe aparecera em janela de conversação.
A malta era jovem.

Conhecer pessoas hoje através de um blog é parecido, até certo ponto. Primeiro, a malta já não é assim tão jovem. Segundo, a quantidade e qualidade de informação revelada é toda outra, mas isso não impede os equívocos e a fantasia de continuarem a crescer. Onde há palavra escrita, há espaço para a imaginação. Este blog sou eu e eu sou este blog, isso é inquestionável, mas as pessoas que me conhecem na realidade dificilmente me reconheceriam aqui. Acho que ficariam até bastante surpreendidas. O contrário é igualmente válido. Como diria o rapaz do Técnico, a minha versão escrita parece muito mais simpática. E mais afoita, mais corajosa, mais divertida e até mais inteligente, acrescento eu com alguma mágoa. É assim. Mas tem de continuar a ser? Afinal, também tenho amigos reais que me acham piada.

O primeiro bicho de sete cabeças que tentei matar este ano foi este: aceitei encontrar-me com outra blogger com quem simpatizo, uma pessoa que só me lê (o sacrilégio!) e lá fui, com medo que o céu me caísse na cabeça. Por acaso desencontrámo-nos e a coisa não se deu, mas todo o evento foi uma revelação, desde as conversas que não ensaiei na minha cabeça à forma como decidi rematar o traço do eyeliner (o próprio uso de eyeliner, credo!). Afinal também sou afoita, afinal também sou corajosa. Lutei contra o bicho com unhas e dentes e só não trouxe uma cabeça como troféu porque não cheguei a encontrar-me mesmo contigo, querida blogger desencaminhadora de cidadãs pacatas. Acho que acabei foi por me encontrar comigo, o que não sendo tão bom, não foi nada mau. Por algumas horas, eu e a Alexandra, a Grande, fomos uma só pessoa e que divertido foi interpelar raparigas desconhecidas de stilletos e vestidos de couro, para saber se eras tu. Onde há palavra escrita, há espaço para a imaginação eu já me tinha esquecido como imaginar pessoas pode ser tão divertido.

 

32 comments
  1. Tempos de inocência cibernética, esses dos mIRC :)

    1. Fomos priveligiados por os termos testemunhado. Nunca mais vai haver nada parecido.

  2. tenho algum receio de qualificar esses como “bons tempos”, mas há custa disso conheci pessoas (incluindo mulheres que por cá deixaram marca) que se tornaram amizades com mais de 10 anos =D

    o que faz falta nos blogs é aquela cena do kick/ban…

    1. E aquela cena que havia do “slap” não sei quem “with a trout”?

      1. que tesourinhos que estás a desenterrar =D

  3. Posso dizer que uma dessas conversas de mIRC me deu a minha vida. E também algumas experiências surreais.
    Mas isso são outras histórias. :)

    Andaste a jogar ao Quem é Quem? Muito fixe.

    Ps- Estou com o jack. Um bom kick/ban para muitos dos blogues que para aí andam precisa-se.

    1. É um jogo muito divertido. Também queres jogar? :P

  4. Uma das coisas mas inesquecíveis de sempre foi a resposta à pergunta: “És poligolota?”
    O moço respondeu: “Não, sou de Lisboa!”.

    1. Ah, ah! Que vergonha!

  5. Já organizei três jantares de bloggers e duas das minhas melhores amigas conheci pelo blogue. Tenho o blogue há 4 anos, já me trouxe algumas chatices, mas os laços que criei são tão bons e fortes que vale tudo a pena.

    1. É sempre bom ouvir estas histórias. É verdade que criamos laços facilmente desta forma. E com pessoas tão diversas!

  6. DDTC? tenho tantas histórias para contar sobre o Mirc…
    não temais grande Alexandra que parece que a noitada gay no trampas foi cancelada e como tal tenho instruções para avançar com o plano b: jantar anonimo de bloggers. Junta os piores filmes de terror de todos os tempos e os bloggers mais fuera desta blogosfera numa tasca decadente com vinho a metro: MEDO!

    1. Eu já não tenho medo de nada! Bora lá!

        1. Ana é um jantar anonimo e meio secreto tipo grupo marsónico do alto do pina…a triagem e selecção de candidatos está sujeita a um juri muita marfunbito do xulavato de caranguejo macho, mas aceitam-se subornos…
          a ver…o que é que vale?

          1. Vale eu escrever sobre isso!
            Chega ou ainda está fraquito o suborno?

  7. Bem, eu cheguei a ter um namorado que conheci no mirc. E tenho amigos que ainda hoje mantenho que os conheci lá. Era mesmo muito giro. Havia um canal que era o “Portugal” que tinha sempre milhões de pessoas. Na altura era jovem e sempre que alguém me parecia um predador sexual lá escrevia eu que tinha 3 ou 4 filhos. Perdiam logo o interesse.LOLOL

    1. Lembro-me desse canal, e era mesmo para a bandalheira! Eu preferia canais mais específicos, mas também arranjei um namorado por essa via.

      1. o meu canal era o lesbicas e o BDSM
        a minha pergunta para decifrar se eram mesmo gajas era perguntar sobre a copa e o ciclo….

        1. Eu estava tramada… nunca sei números nem copas. Confundias-me com um gajo na boa.

  8. Os meus grandes amigos de hoje fi-los graças ao IRC. Chegávamos ao ponto de passar o tempo em casa a teclar, combinar ir beber café, voltar a casa e continuar a teclar. Ficaram amigos para a vida.

    1. hehe, grandes malucos. Eu só mantenho dois desses tempos, mas são dos bons.

  9. Ah, que saudades do mIRC, do #Portugal e do #Anime, onde também eu, Brutus, fiz amizades e namoricos. Desde encontros combinados para trocar mixtapes a uma paixoneta platónica por um adolescente de Aveiro com aparelho nos dentes, eram os tempos em que ainda não tinha net em casa (situação depressa corrigida por um daqueles dial-on tinoooooninoooo-krshhhhhh-beum-beum-uiiiiiiiinnnnn) e pagava 100 paus por uma hora nos 486 da Associação de Estudantes.

    Anyways, todo este intróito para dizer que já conheci colegas bloggers (sarava pour la Xuxi, btw) ao vivo e ainda não me desiludi. É sempre giro ver se a imagem imaginada corresponde à real. Se não, podes sempre dar-lhes com uma truta.

    1. Que bonito. Eu atravessava meia cidade em buscas das salas de internet das faculdades mais abonadas que a minha, que só tinha 3 computadores lentos como o raio.

      Darei com uma truta na Xuxi se a moça me desiludir, mas não creio, especialmente vindo assim recomendada por ti. E, claro, estás na lista negra!

      1. Qual lista negra? Do kick/ban? Nooooo! :)

        #Rachelet was kicked out by webmaster

      2. Truta não gosto….um choco ou um polvo ou um linguado…
        mas depois de irmos à Fabiana por favor…

  10. eu já conheci uma blogger – também ia com aquela sensação estranha e tal, mas agora não passa uma semana sem falarmos, mesmo eu estando no far far away kingdom.
    há pessoas que valem muito a pena :)

    1. é verdade! E tu tb estás na minha listinha.

      1. uma palavra pra ti, menina: Florença ;)

        1. É uma palavra que eu adoro!

  11. Já conheci 3 bloggers. Também estava nervosa mas nunca me arrependi. Sempre correu bem e um deles até se tornou meu amigo, falamos ao telefone com frequencia e já lá vão uns 8 anos.
    ps: gostei muito da tua escrita. Continuarei a ler-te.

    1. :)
      Obrigado! Não te conhecia e vou espreitar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.