Gilmour Guy: T1- ep.1

“I’m not interested in teaching books by women”, diz o professor David Gilmour mal a cena abre, um grande plano das suas sérias narinas masculinas, (…) “What I teach is guys. Serious heterosexual guys. F. Scott Fitzgerald, Chekhov, Tolstoy. Real guy-guys. Henry Miller. Philip Roth.”

Gostava de me encarniçar contra este senhor, dizer-lhe que troco quaisquer dos seus Henry Millers por uma só página escrita por Zadie Smith, Claire Messud ou Donna Tartt, só para referir três mulheres escritoras contemporâneas que li este ano, e não vos aborrecer com previsíveis Janes Austens, Edith Warthons e irmãs Bronté. Virgínia Wolf? O senhor Gilmour refere-a, por acaso, é a única mulher escritora que suporta. Infelizmente, é demasiado sofisticada para os seus alunos por isso vamos riscá-la. Afinal, os pobres coitados só conseguem assimilar literatura heterossexual guy-guy. E eu que nem sabia que esta classificação existia?
Gostava de começar a chamar-lhe nomes feios, mas primeiro tenho de me certificar que percebi bem o que é um real guy-guy. Posso estar a ser injusta. Há algum por aí? U-hu? Homer Simpson? Daniel Craig? Alguém? É que não me posso fiar nos padrões do senhor Gilmour. F. Scott Fitzgerald, por exemplo, usava um risquinho ao meio e chapéus rídiculos de palhinha, Philip Roth pôe os seus heróis a chorar baba e ranho. O senhor Gilmour, que também escreve qualquer coisa de seu, tem um visual assim armar a Hank Moody. Couro preto, Gilmour? Está um passo de uma coreografia dos Village People, deixe-me dizer-lhe.
Nah… parece-me que em vez de me irritar mais com isto vou é passar a visualizá-lo conforme a minha definição de real guy: barbudo, camisa aos quadrados, um certo ar de lenhador sebento. Olha, como o guy da série Gilmore Girls. Que tal, Gilmour? Estou quase a gostar de si, hã? Só não vou tentar ler nada seu, tenho a certeza que é demasiado sofisticado para uma real girl-girl.

 

5 comments
  1. Foda se. Estive a ler e ainda não estou em mim. Era dar lhe com um saco cheio de gatos nas trombas e enterra lo em literatura feita por mulheres.

  2. Rótulos só em frascos. O resto é fogo de artifício…

    1. Que esquisito… o meu cérebro acrescentou “de picles” ao teu, “Rótulos só em frascos.” :P

  3. ele nem nos homens acerta, para colocar Philip Roth (um escritor perfeitamente mediano na escala das coisas) nos píncaros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.