Haverá dragões

Isto de sair da nossa zona de conforto é uma coisa desagradável.
Perguntem ao Bilbo.
Dizem que é só aí que começamos a VIVER, assim mesmo em maiúsculas, com a boca cheia de ênfase. Na zona de conforto apenas se sobrevive, é o que corre por aí, mas eu não sei se acredito. Eu cá estou muito bem sentadinha na minha almofada, a viver sem maiúsculas nem medos. Lá fora apanha-se todo o tipo de coisas más e imprevisíveis: Bichos na barriga, frios, suores, vestidos amarelos. Até pode haver dragões.
O pior de tudo é que dizem que não há volta. Uma vez que inspires o ar dessas novas paragens já não respiras bem em mais lado nenhum.

Gandalf, és tão mauzinho.

 

20 comments
  1. Há sempre um Gandalf à nossa espreita e não adianta fugir; ele encontra-nos e desassossega-nos.
    E se por um lado sabe que nem ginjas estar quietinhas no nosso canto, por outro o Mundo é tão grande e tem tanto para ver…verdade que encontramos dragões por aí mas também muitos paladinos, e quem nos garante que se ficássemos em casa os dragões não nos encontrariam também (os dragões sabem pouco e não ligam nenhuma a essa coisa de invasão de propriedade alheia)?
    Assim, até sabe melhor o aconchego quando voltamos à nossa toca na Terra Média :)

    1. Tu percebes… :)

  2. Prefiro acreditar q tb não é pecado gostarmos de viver na nossa zona de conforto…(ou, têm dias)

    1. Perdão, tem e não têm. :) a escrita inteligente às vezes tem destas coisas… :)

    2. Tem dias, é mais isso. :)

  3. O meu FB não consegue adicionar-te por seres uma “pessoa” e não uma página. Trata lá disso…

    1. Já ouvi dizer… em breve.

  4. Confere! Não consigo viver muito tempo no mesmo sitio, educaram-me de forma meio nómada, viajo sozinha desde os 17 e nunca tive medo de arriscar. Experimenta. Metes o dedo mindinho fora e nunca mais serás a mesma.

    1. É que o meu dedo mindinho é muito grande!

  5. Lamento, mas o Bilbo para mim não é referência. Um tipo que para primeira aventura resolve rodear-se de anões só para ser protagonista é gajo para ter mania da grandeza.

    Quanto ao resto, recomendo uma metáfora que chama “mitridatismo”. É um processo que também é válido para combater medos e afins…

    1. Espera lá… mesmo sendo anões ainda são maiorzitos que o Bilbo, não?

      Isso do mitridatismo não é aquele metal com que se fabricam as cotas de malha dos elfos?

      1. Não, isso é mithril (não me lembro é se é assim que se escreve).

        1. :) é isso mesmo, escreveste bem. Mas eu estava tentar fazer uma piada com duplo sentido…

          1. Malhas de elfos, anões, não tarda nada estamos a falar de roupa infantil na Cenoura ou outro tipo de memória infanto juvenil do género…

          2. Não há esse perigo que eu não tenho memórias infantis dessas, a roupa de Cenoura nunca me servia. Ainda bem, aliás, que eu em tons pastel devia ficar igual a um Orc nas mesmas condições.

  6. Há sempre dragões em algum lado, não conheço quem tenha corrido mundo e os não saiba.
    E foge de quem te diga que os não há: esses são os que não querem ver. e matam quem fale, para não terem de saber.
    A tal caverna do outro senhor grego ainda aí anda, e cada vez mais em força.

    1. Que bonita resposta! Até fiquei inspirada.

  7. … se perguntarem na Minha Guerra quem é o Dragão, acho que a resposta me vai deixar com um sorrisinho MUITO (maiúsculas) amarelo… A minha zona de desconforto é a zona onde me sinto mais confortável apesar de couraçada que nem um tatu e armada em tudo o que estiver á mão ( QUANTAS vezes em parva…) .
    … se bem que, se tivesse uma banheira grande ,mandava lá instalar um Cocoon ,um daqueles, vocês sabem…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.