I want to ride your bicycle

Esta manhã lá estava o rapaz da bicicleta. É daqueles rapazes bonitos de quem se poderia dizer que são bonitos demais para rapaz, se isso não fosse uma completa estupidez inventada por algum invejoso façanhudo.
A bicicleta do rapaz também é bonita, uma pasteleira com pinta como as que costumam andar pela ciclovia do pinterest. Atravessam-se os dois no meu caminho, bicicleta e rapaz, um pela mão do outro, em qualquer local e horário. Gosto de pensar que me andam a seguir. Seria excitante e não sinistro.
De saco à tiracolo e uma argola de prata da orelha, o rapaz é mesmo bonito, até para quem não gostar especialmente de rapazes louros que deviam ter deixado o corte de cabelo nos anos 90. (breve estremecimento ao notarmos que nos anos 90, muito provavelmente, o rapaz bonito devia ser careca e usar chupeta)
Já encontrei o rapaz da bicicleta no comboio, no meio da cidade e uma vez na minha rua dos subúrbios, no ponto em que deixa de ser a minha rua e passa a ser a rua de outra pessoa qualquer. Talvez seja a rua do rapaz da bicicleta.
Ele sabe quem eu sou e sabe que eu sei quem ele é porque dessa vez que nos encontrámos nessa rua que não é minha e talvez seja dele, trocámos um olhar entendido, de reconhecimento cúmplice. Olha, olha, quem aqui está, era o que estávamos a dizer um ao outro. Acho que ficámos amigos.
Foi só dessa vez que lhe olhei bem para a cara, mas não consigo dizer de que cor são os olhos dele. É por isso que sei que ele é mesmo bonito. Se tivesse de apostar diria que são cor de avelã, mas não tenho, por isso estou-me bem a lixar. Também não sei de que cor é a bicicleta. O que é que isso diz de mim? Ora, que já tenho aqui material suficiente para um Orange Prize e tão depressa não me apanham noutra assim.

9 comments

  1. Anónimo

    também gosto muito mais de uns meigos olhos castanhos do que de olhos verdes ou azuis (eu tenho olhos azuis esverdeados e quando era pequena tinha muito orgulho deles,como os da joaninha das viagens da minha terra, mas agora acho que os olhos verdes não têm calor)

  2. Sue

    Todos os dias nas nossas rotinas cruzamo-nos com as mesmas pessoas varias vezes, so nao das por isso, porque infelizmente a maioria nao é digna de ser registada pela nossa retina de forma mais permanente ;) Vou ficar a aguardar a confirmaçao do pantone dos olhos :P

  3. Pingback: Não me envergonha por aí além… #12 | alexandra, a grande

Post a comment

You may use the following HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>