Marriage à la Mode: Sabe como é

779px-HogarthMarriage

As infecções urinárias são das coisas que mais me apavoram nesta vidinha de ser humano frágil – leia-se gaja – que por acaso não o aparenta – leia-se gaja grande e bem constituída. Não só provocam dos mais desesperantes sintomas da categoria das doençazecas que toda a gente tem – leia-se mais uma vez gaja – como ao imenso desconforto físico que provoca, se soma, infalivelmente, o psicológico. E isto dá-se assim que confessamos a alguém o que nos aflige. Em voz baixa, claro, que não se pode dizer assim à boca cheia que se tem uma infecção urinária. Cruzes, credo, mais te vale fugir.

A inominável é uma “doença de mulher”, parece, o parente pobre século XXI das românticas doenças de Vénus de eras passadas. Não importa que o sistema urinário não tenha a sorte de ter a amorosa deusa a si devotada, nem realmente nada a ver com o acto do amor em si (se não entrarmos em discussões de gostos exóticos e prácticas mais peculiares). É a situação geográfica de uma coisa e de outra – leia-se oríficios corporais de gaja – que fazem com que ter-se uma infecção urinária seja meio caminho andado para se ser avaliada por farmacêuticos, médicos e curiosos de filas de espera com ouvidos de tísico, de grande maluca. Não querem lá ver a taradona? Temos andado a levar forte e feio, não é?
Homessa! Mas o raio das bactérias não pode perfeitamente ir parar onde não deve sem ajuda masculina? Ninguém acredita nisso senão eu. E tudo isto sem qualquer esperança de chegar a figurar num quadro de William Hogarth.* Outros quadros, então:

O Farmacêutico
“Tomou algum antibiótico recentemente? Isso às vezes… Não? Ah, e já costuma beber muita água… nesse caso, sabe como é…” Aceno de cabeça entendido na direcção do meu acompanhante. Toma lá estes comprimidos de arando e uva-ursina, caros como o raio que não vão fazer nada e acabou-se a brincadeira nos próximos tempos.

A mãe
Sabes como é. É por isso que até lhe chamam a doença das noivas… quando tinha a tua idade também tinha muito disso. Já fizeste chá de pé-de cereja?”. Não, mãe, menos, muito menos. O chá não me importo, até gosto.

A médica das urgências
“Ah, no fim de semana, foi? Férias, feriados, quando namoramos mais… sabe como é…” Toma lá um antibiótico que isto de cházinhos e uva não sei quê não mata bicho.

A gaja
Sabem como é? Eu não. Acho este diagnóstico aleatório e injusto. Nem estou noiva nem tenho infecções urinárias com frequência. Porquê a perseguição? Moral da história: vou beber meio litro de água que é melhor.

———————————————————————————-

* Porque é que escolhi como inspiração este quadro em particular da série Marriage à la Mode, de William Hogarth? Porque este artista, grande crítico social do seu tempo, representou aqui o marido devasso com uma grande mancha negra no pescoço, sinal inconfundível da presença de sifílis avançada. Ou pelo menos foi o que a minha professora de história de arte me contou. E assim me vingo dos homens, caraças.)

33 comments
  1. como sempre, um ar fresco que vem destes lados.

    não é para te chatear, mas eu acho que podias acrescentar à lista de possíveis causas (ouvido de quem já passou por isso e/ou médicos que trataram):
    – depilação completa. Se não há pêlos a atrapalhar o caminho e a cumprirem a sua função de barreira natural higiénica, a bicharada passa de um lado para o outro mais facilmente.
    – comer mostarda, pimenta. Parece estranho, mas quem seja intolerante a esse tipo de condimentos, a intolerância passa do sistema digestivo para o sistema urinário.

    (e mais não sei, que eu cá, blerc, não pratico nada dessas coisas que te insinuaram, dos fds e tal e coiso)

    1. Pois muito me contas, como sempre, os teus comentários são os mais construtivos da blogosfera inteira. Depilação completa? Pimentas? Pois sim, um não faço e o outro não abuso. Isto foi praga que me rogaram.

      1. eita, nunca me tinham apelidado de “construtiva”. Não sei se consigo viver à beira dessa expectativa, mas…
        Praga, às tantas alguma melissandre?
        (pronto, e agora tenho de mandar o spoiler do dia sobre GoT. A melissandre é mesmo feiticeira, i.e., acredita mesmo na sua própria patranha, ou é também uma espécie de little finger feminino, que tem segundas intenções e inventa aquilo do fogo dos deuses para espantar a malta e chegar a bom porto dos seus intentos? que btw serão maléficos intentos ou nem por isso?)(nota-se muito que eu fico a anhar cada vez que vejo um episódio novo no scyfy?)

        1. Não, pelo contrário, estás uma profissional que não se pode! Ey acho que a senhora é genuína, mas louca. E má, já agora. Não gosto nada dela. Havia de apanhar uma infecção urinária que era para ver se estava quieta.

          1. ah bom. Vindo de ti, já tirei as dúvidas.
            ontem disseram-me que houve um gajo que fez um mapa espectacular lá do mundo GoT com o percurso de todas as personagens mas que tem um filtro anti-spoiler, ou seja, podes assinalar em que capítulo vais na leitura dos livros e ter um resumo de toda a historia mas sem seres obrigado a saber mais para a frente, se não quiseres.

            E também que no dia a seguir a sair o episódio nos states, já há na net as legendas em PT!!!

            há pessoal que, gratuitamente, faz assim estas coisas para benefício dos fãs.
            Acho giro :)

  2. ouvi esse argumento uma única vez, de uma colega minha que, pumba, rematou a conversa com um peremptório e muito curioso “a culpa é dos gajos.”
    perdão?
    como se explica então nas crianças? cada uma, realmente.
    as melhoras :)

    1. ah sim, não me tinha lembrado dessa. Há quem tenha apetência, digamos assim, para infeccções urinárias logo desde criança, e isso, não sei, poderá mesmo ser uma “condição” do corpo da pessoa, como outra coisa qualquer, como tendência para acne.

      1. sim, sim, a minha irmã tem um ureter mutante que provoca disto por dá cá aquela palha.

        1. E ser uma rapariga com essa disposição natural para problemas urinários, quase desde sempre, e quando finalmente se ganha coragem para consultar um especialista ser despachada com: “E que culpa tenho eu se a senhora é promíscua? Isso não é problema meu”? É do melhor…

          1. Jesus!!

    2. Com franqueza!!

  3. Lê quando puderes esta coisinha que eu escrevi (http://a-uva-passa.blogspot.pt/2014/03/e-como-comer-e-cocar.html) que é para veres o que sofro e o que é a tormenta de ter no lugar da bexiga, um sistema de rega gota-a-gota. Sinistro.

    1. Esse tinha-me escapado, já fui ler e está bem engraçado, salvo seja. Estou solidária. Ontem acabei o antibiótico e cheira-me que o bicho não está bem morto. :(

    1. É melhor não, fico hipocondríaca. Já bebi mais dois copos de água desde que li o teu. Outra forma de passar o dia na casa-de-banho. Não há como fugir.

  4. Olha, eu só tive uma vez. Mas era daquelas teimosas, persistentes com’ó raio. Tomei vários antibióticos até dar cabo da bicha (feminino de bicho = bactéria, entenda-se). Mas contrariamente a ti, tanto a médica nas urgências como a moça da farmácia fizeram de tudo para me levar a acreditar que não tinha nada a ver com o truca-truca (não acredito que estou a usar esta expressão). Olha-me a conversa da médica: “tem tido relações sexuais com mais frequência do que o habitual? Não que possa ter qualquer relação uma coisa com a outra, pelo menos directa…” Plaît-il? Nem soube se havia de rir ou de chorar, na altura…

    1. A primeira vez que tive até tinha o homem a habitar no Porto e não lhe punha a vista em cima há mais de mês… o pior é que com isto tudo estou aqui estou a acreditar que telepaticamente a coisa também se deve dar. Mas ó mulher, tu não me fales de bichas resistentes a antibióticos! Já acabei o meu há quatro dias e ainda não consegui parar de beber doses gigantescas de água, para ajudar a fechar o processo. De tal forma que até estou a pensar mudar-me com o computador para a casa de banho!

      1. telepaticamente? Olha que é bem provável, já nem digo nada…
        Resistentes, é um facto. Tenho pena, mas não posso deixar de confirmar, já que tive de experimentar uns quantos antibióticos até aquela porra passar…
        Força aí! A Mam’Zelle está contigo ;)

  5. Fazendo um comentário mais sério, as infecções urinárias tambem se podem apanhar em casas de banho mal limpas. Nunca tive tantas seguidas como numa época em que não tinha relações mas vivia numa residencia apinhada de gajas!

  6. A entrevista que me deu está no meu blog, muito obrigado pela sua disponibilidade e simpatia!

    1. Huuum… Ó Pipoca Arrumadinha, a menina está baralhada. Eu não gosto de rosbife, não posso com néon, desconfio que não possuo artefactos fashinistas e, acima de todo, não escrevo daquela forma, nem dei essa entrevista… Se há para aí outra Alexandra igualmente grande é corrigir esse link e mandá-lo para ela, que agora vem dar aqui e isso não pode ser. É que menção ao néon está-me a fazer tonturas. Obrigada!

      1. Peço imensa desculpa, mas alguém me enviou estas respostas com o seu mail e nome, de qualquer forma vou retirar o seu nome da mesma de modo a que assim se evite este lapso, se lhe causou algum tipo de transtorno, só posso corrigir o mesmo desta forma.

      2. Há coisas dos diabos….

        1. Está resolvido, da melhor maneira possível, por isso espero bem que tudo fique normalizado desta forma!

          1. Obrigada, tudo OK!

  7. É terrivel e quando mal curadas ainda pior

    Sónia
    Taras e Manias

  8. porque hoje é terça-feira, tenho 3 coisitas que se me oferecem partilhar com V/ Exa, em jeito de sorriso, sobre o que está neste link:
    http://www.buzzfeed.com/lyapalater/times-the-cast-of-game-of-thrones-was-totally-out-of-char

    – A Brienne arranjada até é gira
    – O Greyjoy também não tem amigos na vida real
    – Não quero ser intriguista mas há ali qualquer coisa entra a Cersei e o Oberyn

    nota da redacção: obviamente estes comentários foram feito com a ajuda de um telefonema a um amigo, porque eu seria incapaz de dizer de cor o nome daquele, ai do obryn e do outro que foi torturado (ou que finge muito bem, ainda não percebi)

    1. Espera lá… mas tu viste algum episódio esta semana? É que eu não! Achava que não tinha dado… Vou lá ver esse link. É claro que a Brienne é gira. É GRANDE! Somos todas uma maravilha! Eu gosto do Oberyn. Dorne deve ser a Espanha lá do sítio.
      :)))

      1. ahaha, vê lá tu que eu sou tão out que ontem à tarde estava toda contente porque achava que o meu dia ia terminar a ver GoT. Tinha-me esquecido completamente que na semana passada avisaram que nesta não iam dar (ao que parece a greve teve origem lá nos states, mesmo, desconheço é os motivos). Este site foi-me mostrado pelo companheiro que me obriga (han hein) a ver a série portanto a culpa é dele.
        Ontem tive de comer com o Mentalista. (eu adoro o gajo do mentalista mas não sei porque deixei de seguir a série. Claro que agora que alguém já me disse o final, já voltei a ter interesse ehehehe – ontem lá em casa aventou-se que o red john poderia ser um irmão há muito perdido do mentalista e eu, não tanto com os meus botões como deveria, muhahahahahahahahaha )

  9. Passei 39 anos até ter uma infeção urinária e espero passar pelo menos outros 39 repetir, coisa horrível de se ter!

    Mas de facto sei de uma menina que teve uma infeção urinária aos 6 anos, por isso a questão da promiscuidade metida ao barulho é mesmo ignorância ou maldade de quem liga as duas coisas como se fossem dois lados da mesma moeda.

    1. *outros 39 sem repetir (Bruxa Mimi em modo offline)

      1. Olha! Afinal não apareço em modo offline, fixe! Deve ser porque isto não é no blogger…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.