Não me envergonha por aí além… #5

…ter levado exactamente sete meses menos sete dias até chegar ao fundo do cesto da roupa para passar a ferro.
Soquete às riscas que julgava desirmanado para a eternidade, que bom rever-te. Calças verdes do rasgão no rabo, não vos tinha já deitado fora? E que quantidades absurda de álcool terei eu consumido no Verão passado para te adquirir, ó vestido branco-imaculado de alças crochet? T-shirt preta de cavas americanas, sua malandra, podia jurar que ainda cheiras a fins de tarde à beira-mar. Ou é protector solar? Toalha de praia, querida amiga, será impressão minha ou ainda estás rija de sal?
Que ansiosa que estou por voltar a emporcalhar-vos a todos outra vez.

———————————–

O autor do barbudo confuso é o Teemu Matinlauri.

23 comments

  1. Anna Blue

    ahahah….conheço a sensação. Por aqui sei vai ser um parto dificil quando consigo fazer máquinas de roupa de apenas uma só cor. By the way, se encontrares um vestido de algodão estampado branco e roxo a mais, avisa…

Post a comment

You may use the following HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>