The S-Files ou Não tens coragem

Ai não?

Num dos cantos, medindo cerca de um metro e sessenta e pesando umas quatro ou cinco arrobas:  Sogra, a Sogra. No outro canto, encolhendo o seu metro e oitenta e três e escolhendo não revelar quanto pesa: Alexandra, a Grande. Trocam-se olhares, apertam-se mãos, despem-se as capinhas lustrosas. Alexandra fica claramente melhor de cueca e top flamejantes, mas é a sogra quem mais impressiona a chispar dos olhos. Ding! Ding! Ding!  Começou. Que entrada fortíssima de Sogra, a Sogra! E que defesa, a de Alexandra:

“Oh! Que giro! Um conjunto de canecas azuis e cor-de-laranja com o desenho de um cavalo de avental e barrete a comer sopa de lentinhas com uma colher de pau! Era mesmo o que eu queria/estava a precisar/matava por ter! Obrigado!”

OOOOhhhh! A Grande vai ao tapete e não mexe mais. Um… dois… três… Não teve qualquer hipótese. Quatro… Cinco… Seis… Com o escudo anti-sarcasmo activado, a Sogra não recebe qualquer golpe. Que má aposta a de Alexandra, a Grande. Sete… oito… nove… DEZ! Ding! Ding! Ding! A multidão uiva: SOGRA, SOGRA, SOGRA!

Alexandra é levada de rastos para fora do ring, um trilho de suor e sangue a segui-la. As canecas dos cavalos são arrumadas na prateleira, lado a lado com a tijelas da “area”, brancas e lindas, tão escolhidas, tão pensadas, um manifesto tão urban-clean.

Quanto tempo será preciso para ocorrerem discretamente seis momentos Ooops!, escapou-me da mão?

—-

Marina Lurs e Anette Busch, estrelas de wrestling do  início do século XX, e um belo íman de frigorífico em forma de cacete, ilustram este momento libertador. E eu sou bem capaz de ter descoberto para que é que serve um blog, afinal de contas.

25 comments

  1. Rainha St

    Acho que essas canecas, vão ter o mesmo fim de uma tábua para cortar pão que a S. também me deu, o chão, nem sei como aconteceu,acho que escorregou das mãos, coisas que acontecem :)

    • Alexandra

      Pilhas, carradas, resmas, alguns ainda embalados, coleccionados durante anos para o enxoval do benjamim – não só são feios como fora de moda!
      Oh não, a minha sogra é tua Mãe???!!! Eu bem me parecia que conhecia esse sentido de humor de qualquer lado…

  2. VdeAlmeida

    Eheheheh, Também estou a imaginar a Alexandra de cueca e top flamejante, embora achasse preferívelum daqueles soutiens plásticos com luzinhas a acender e a apagar.

    P.S – Que má vontade contra as sogras!!tsc, tsc. A maior parte das mulheres nem vê que em frente está o seu próprio destino, que também elas um dia serão sogras.

    • Alexandra

      Ah… o estilo árvore de Natal… um must em certas estações. ;)

      Não vou ser uma sogra horrível, mas não é por falta de vocação, que já hoje tenho muitos ciúmes dos respectivos dos meus irmãos, é porque sou muito boazinha… tão boazinha…

  3. Anónimo

    Olha põe todas numa bandeja, logo na primeira vez que vais usar, de tão, pronto, excitada e contente, não sabes como, tropeças!!!… é que não se percebe o karma, podiam ter sido quaisquer umas, mas não tinham de ser aquelas… quem te manda ir logo usá-las assim para impressinoar as visitas?? Pois, mas não exageres, senão oferece-te outras iguais para minorar o (des)gosto…

  4. O Sexo e a Idade

    Ahahahahahahah
    Há uma bicha dessas na vida de todas nós não é?
    Depois de muitas fúrias e de muitas idas ao tapete com a respectiva, desabafei com (a) uma amiga e ela tão esperta, tão esperta (é por isso que somos amigas há mais de 20 anos (sou uma interesseira é o que é)) ensinou-me um truque: como querida S tem uma casinha no campo para onde, volta não vira, somos obrigados a marchar, levo para lá todas as pérolas que me impinge a pretexto de gostar tanto, tanto, que adoro usá-las ali, quando lá vou. Acho que a bicha até percebeu o esquema mas não pode fazer nada porque eu estou a ser querida, verdade?

Post a comment

You may use the following HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>