The S-Files ou Não tens coragem

Ai não?

Num dos cantos, medindo cerca de um metro e sessenta e pesando umas quatro ou cinco arrobas:  Sogra, a Sogra. No outro canto, encolhendo o seu metro e oitenta e três e escolhendo não revelar quanto pesa: Alexandra, a Grande. Trocam-se olhares, apertam-se mãos, despem-se as capinhas lustrosas. Alexandra fica claramente melhor de cueca e top flamejantes, mas é a sogra quem mais impressiona a chispar dos olhos. Ding! Ding! Ding!  Começou. Que entrada fortíssima de Sogra, a Sogra! E que defesa, a de Alexandra:

“Oh! Que giro! Um conjunto de canecas azuis e cor-de-laranja com o desenho de um cavalo de avental e barrete a comer sopa de lentinhas com uma colher de pau! Era mesmo o que eu queria/estava a precisar/matava por ter! Obrigado!”

OOOOhhhh! A Grande vai ao tapete e não mexe mais. Um… dois… três… Não teve qualquer hipótese. Quatro… Cinco… Seis… Com o escudo anti-sarcasmo activado, a Sogra não recebe qualquer golpe. Que má aposta a de Alexandra, a Grande. Sete… oito… nove… DEZ! Ding! Ding! Ding! A multidão uiva: SOGRA, SOGRA, SOGRA!

Alexandra é levada de rastos para fora do ring, um trilho de suor e sangue a segui-la. As canecas dos cavalos são arrumadas na prateleira, lado a lado com a tijelas da “area”, brancas e lindas, tão escolhidas, tão pensadas, um manifesto tão urban-clean.

Quanto tempo será preciso para ocorrerem discretamente seis momentos Ooops!, escapou-me da mão?

—-

Marina Lurs e Anette Busch, estrelas de wrestling do  início do século XX, e um belo íman de frigorífico em forma de cacete, ilustram este momento libertador. E eu sou bem capaz de ter descoberto para que é que serve um blog, afinal de contas.
25 comments
  1. às vezes mais vale as pessoas ficarem quietas e investirem o dinheiro num curso de bom gosto ;)

    1. Ficarem quietas já chegava. ;) É uma arte difícil.
      (estou a dever-te umas dicas, não me esqueço.)

  2. Acho que essas canecas, vão ter o mesmo fim de uma tábua para cortar pão que a S. também me deu, o chão, nem sei como aconteceu,acho que escorregou das mãos, coisas que acontecem :)

    1. Como diabos conseguiste partir uma tábua de pão? Karaté?

  3. E os panos de cozinha? Os panos de cozinha… meu deus, os panos de cozinha!! :|

    1. Pilhas, carradas, resmas, alguns ainda embalados, coleccionados durante anos para o enxoval do benjamim – não só são feios como fora de moda!
      Oh não, a minha sogra é tua Mãe???!!! Eu bem me parecia que conhecia esse sentido de humor de qualquer lado…

  4. adorei x)
    antes a caneca que o naperon. é que o naperon não parte ;)

    1. Naperons também não falta mas vieram todos do meu lado. Diabos. Não se pode dizer mal da sogra quando se tem uma mãe igual ou pior.

      1. menina, likewise here. mamã até colchas faz… em crochet ;)

  5. É um combate quase tão antigo como a Jihad. :)
    E tal como ela, nunca se sabe muito bem quem ganha. :)

    *A imaginar Alexandra de cueca e top flamejante.*

    1. ahaha, fico gira, fico. – Eu perco de boa vontade se isso me fizer conservar a melhor pecinha do enxoval, o filhinho da senhora. :P

  6. Eheheheh, Também estou a imaginar a Alexandra de cueca e top flamejante, embora achasse preferívelum daqueles soutiens plásticos com luzinhas a acender e a apagar.

    P.S – Que má vontade contra as sogras!!tsc, tsc. A maior parte das mulheres nem vê que em frente está o seu próprio destino, que também elas um dia serão sogras.

    1. Ah… o estilo árvore de Natal… um must em certas estações. ;)

      Não vou ser uma sogra horrível, mas não é por falta de vocação, que já hoje tenho muitos ciúmes dos respectivos dos meus irmãos, é porque sou muito boazinha… tão boazinha…

  7. Isso de pesar a sogra em arrobas soa um boadinho a suíno. Eheheheh

    1. ;)
      Aqui não damos ponto sem nó.

  8. Tenho de desenhar as canecas. Só me ri com a descrição, devem ficar geniais.

    1. Sim! Faz lá isso, please!

      1. Vai lá ao estaminé…

        1. Estou a ir!

  9. Panos de cozinha. Muitos. Não combinam com nada. Ah, já disse que estão debruados, em crochet? Pois estão. Houvesse netos e previa o pior.

    1. Conheço, tenho… uso. Não sou capaz de os deitar fora e mais cedo ou mais tarde ficam cheios de nódoas, por isso…

  10. Olha põe todas numa bandeja, logo na primeira vez que vais usar, de tão, pronto, excitada e contente, não sabes como, tropeças!!!… é que não se percebe o karma, podiam ter sido quaisquer umas, mas não tinham de ser aquelas… quem te manda ir logo usá-las assim para impressinoar as visitas?? Pois, mas não exageres, senão oferece-te outras iguais para minorar o (des)gosto…

    1. Isso é muito má ideia, muito má. Pela razão com que finalizas o comentário. Era certinho.

  11. Ahahahahahahah
    Há uma bicha dessas na vida de todas nós não é?
    Depois de muitas fúrias e de muitas idas ao tapete com a respectiva, desabafei com (a) uma amiga e ela tão esperta, tão esperta (é por isso que somos amigas há mais de 20 anos (sou uma interesseira é o que é)) ensinou-me um truque: como querida S tem uma casinha no campo para onde, volta não vira, somos obrigados a marchar, levo para lá todas as pérolas que me impinge a pretexto de gostar tanto, tanto, que adoro usá-las ali, quando lá vou. Acho que a bicha até percebeu o esquema mas não pode fazer nada porque eu estou a ser querida, verdade?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.